Peeling facial: conheça os tipos, benefícios e cuidados necessários

Peeling facial: conheça os tipos, benefícios e cuidados necessários

Entenda o que é peeling, qual a sua funcionalidade, seus diversos tipos, as recomendações de cuidados antes e após o tratamento e saiba como escolher o ideal para a sua pele.

O que é peeling? 

Peeling é um procedimento dermatológico e estético usado para tratar problemas de pele como manchas, rugas, cicatrizes de acne e textura irregular 

O processo envolve a descamação da pele facial por meio da aplicação de uma variedade de ativos tais como ácidos, que ajudam a eliminar células mortas e promover a regeneração das células na epiderme. 

Para que serve o peeling facial? 

O peeling facial é um procedimento estético que serve para diversas finalidades, como: 

  • Ajudar a reduzir a aparência de manchas escuras causadas pelo sol, envelhecimento ou hiperpigmentação pós-inflamatória; 

  • Suavizar rugas finas e linhas de expressão, promovendo a renovação celular e estimulando a produção de colágeno; 

  • Controlar a acne, ajudando a desobstruir os poros e reduzir a inflamação; 

  • Suavizar cicatrizes de acne ao longo do tempo; 

  • Minimizar a aparência de poros dilatados, proporcionando uma pele mais uniforme; 

  • Estimular a produção de colágeno, uma proteína crucial para a elasticidade e firmeza da pele; 

  • Uniformizar a tonalidade da pele, proporcionando um tom mais equilibrado; 

  • Melhorar a textura geral, deixando a pele mais suave e com uma aparência mais jovem. 

Como o peeling facial age? 

O mecanismo de ação do peeling pode variar conforme o tipo de peeling utilizado. 

De forma geral, todos os tipos têm o objetivo principal de remover as camadas superficiais da pele, que podem estar danificadas devido a fatores como exposição solar, envelhecimento, acne ou outros problemas de pele, facilitando a renovação celular e estimulando a produção de células novas e saudáveis. 

Quais os tipos de peeling? 

Existem vários tipos de peelings faciais, cada um com diferentes níveis de profundidade e abordagens para tratar diversos problemas de pele, sempre orientados por um dermatologista. 

Esses são divididos em: peelings químicos e peelings físicos. 

Peeling químico 

Realizado por dermatologistas ou profissionais qualificados para tratar manchas, rugas, acne, textura irregular, e estimular a produção de colágeno, peelings químicos utilizam ácidos, como glicólico, salicílico, tricloroacético e fenol, que removem as camadas externas da pele, estimulando a renovação celular. 

Divididos por superficial, médio e profundo, a escolha do tipo de peeling químico deve ser baseada nas necessidades específicas da pele de cada indivíduo, nas condições dermatológicas presentes e nos resultados desejados. 

Peeling químico superficial 

Os peelings químicos superficiais são procedimentos cosméticos que utilizam agentes químicos leves para esfoliar a camada mais externa da pele 

Os tipos incluem: 

Peeling de ácido glicólico 

  1. Trata manchas leves e rugas finas;

  2. Estimula a produção de colágeno;

  3. Melhora a textura da pele.

Peeling de ácido salicílico 

  1. Trata a acne e poros dilatados;

  2. Remove células mortas e impurezas;

  3. Controla a oleosidade da pele.

Peeling de ácido láctico 

  1. Trata manchas leves;

  2. Suaviza rugas finas;

  3. Hidrata a pele.

Peeling de ácido mandélico 

  1. Trata manchas pigmentares;

  2. Melhora a textura da pele.

Peeling de ácido cítrico 

  1. Estimula a produção de colágeno;

  2. Suaviza linhas finas;

  3. Ilumina a pele.

Peeling de ácido kójico 

  1. Trata hiperpigmentação;

  2. Inibe a produção de melanina;

  3. Ilumina manchas escuras na pele.

Peeling de jessner 

  1. Utiliza a combinação de ácido salicílico, ácido lático e resorcinol;

  2. Trata a acne;

  3. Melhora a textura e tonalidade da pele.

Peeling químico médio 

Os peelings químicos médios são procedimentos mais intensos, que utilizam agentes químicos mais concentrados para penetrar mais profundamente na pele e abordar preocupações dermatológicas mais acentuadas.  

Os tipos incluem: 

Peeling de ácido tricloroacético (TCA) 

  1. Trata rugas mais profundas;

  2. Reduz manchas solares e pigmentação irregular;

  3. Melhora a textura da pele.

Peeling de ácido glicólico concentrado 

  1. Trata rugas finas a moderadas;

  2. Estimula a produção de colágeno;

  3. Melhora a textura da pele e a luminosidade.

Peeling combinado de TCA e ácido jessner 

  1. Trata rugas mais profundas;

  2. Melhora a textura e tonalidade da pele;

  3. Pode ser usado em áreas específicas do rosto.

Peeling de ácido salicílico concentrado 

  1. Trata a acne mais severa;

  2. Reduz poros dilatados;

  3. Melhora a textura da pele.

Peeling de ácido retinoico 

  1. Trata rugas moderadas;

  2. Estimula a renovação celular;

  3. Melhora a textura da pele.

Peeling de ácido mandélico médio 

  1. Trata manchas pigmentares;

  2. Estimula a renovação celular;

  3. Melhora a textura da pele.

Peeling de ácido fenol moderado 

  1. Trata rugas profundas;

  2. Reduz manchas solares e pigmentação;

  3. Melhora significativamente a textura e firmeza da pele.

Peeling químico profundo 

Os peelings químicos profundos são procedimentos invasivos e mais intensos que visam penetrar mais profundamente na pele, alcançando camadas mais significativas.  

Os tipos incluem: 

Peeling de ácido fenol 

  1. Trata rugas profundas;

  2. Corrige pigmentação severa;

  3. Melhora significativamente a textura e firmeza da pele.

Peeling de ácido carbólico 

  1. Trata rugas profundas;

  2. Remove manchas e pigmentação severa;

  3. Estimula a produção de colágeno.

Peeling combinado com fenol e TCA 

  1. Trata rugas profundas e moderadas;

  2. Corrige pigmentação severa;

  3. Melhora a textura da pele.

Peeling com ácido retinoico (Retin-A) 

  1. Trata rugas profundas;

  2. Estimula a renovação celular;

  3. Melhora a textura e a elasticidade da pele.

Peeling físico 

Podendo ser feito em casa com produtos de cuidados com a pele ou em clínicas estéticas, o peeling físico utiliza métodos mecânicos para remover fisicamente as células mortas da pele, geralmente de forma mais superficial. 

Os principais tipos de peeling físico são: 

Peeling de cristal 

  1. Suaviza linhas finas;

  2. Estimula a produção de colágeno;

  3. Melhora da textura da pele.

Peeling de diamante 

  1. Trata manchas leves;

  2. Reduz poros dilatados;

  3. Melhora a textura da pele.

Peeling ultrassônico 

  1. Esfolia a pele suavemente;

  2. Estimula a produção de colágeno;

  3. Melhora a textura da pele.

Escova de limpeza facial 

  1. Limpa profundamente os poros;

  2. Melhora a textura e luminosidade da pele.

Esponjas ou panos esfoliantes 

  1. Esfolia a pele suavemente;

  2. Promove renovação celular.

Qual o peeling facial mais comum? 

O peeling mais comum para o rosto é o peeling químico superficial, devido a sua versatilidade para o tratamento de condições como manchas superficiais, rugas finas, textura irregular da pele e poros dilatados; seu baixo risco de complicações, como alterações permanentes na pigmentação ou cicatrização anormal; sua rapidez, sem a necessidade de internação hospitalar; e seu tempo de recuperação mais curto.  

Quem pode fazer peeling facial? 

O peeling facial é um procedimento que pode ser realizado em diversas pessoas, mediante a orientação de um dermatologista, que levará em conta pontos importantes como: 

  • Idade, já que peelings mais intensivos são mais apropriados para pessoas mais velhas com sinais avançados de envelhecimento; 

  • Histórico médico, incluindo alergias, condições de pele anteriores e uso de medicamentos; 

  • Tipo de pele, que pode influenciar na escolha do tipo de peeling e na intensidade do tratamento; 

  • Condição da pele, incluindo a presença de acne, cicatrizes, rugas e manchas; 

  • Fototipo de pele, que leva em consideração a reação da pele à exposição solar; 

  • Condições médicas atuais, como gravidez ou condições autoimunes; 

  • Objetivos estéticos e expectativas do paciente. 

Como descobrir qual peeling é melhor para a sua pele? 

Para descobrir qual peeling é melhor para a sua pele, é imprescindível a consulta com um dermatologista, que orientará após avaliação dos diversos pontos mencionados acima. 

Como identificar se sua pele é sensível ou não para o peeling? 

Identificar se a sua pele é sensível é fundamental antes de decidir realizar um peeling.  

Por isso, além da consulta com um dermatologista, você pode observar algumas características comuns desse tipo de pele, como fácil irritação cutânea, reações alérgicas a muitos produtos para cuidados com a pele, vasos sanguíneos visíveis, vermelhidão ou desconforto mediante as mudanças climáticas, descamação ou ressecamento constante, histórico com dermatite ou eczema, e sensação de queimação ou irritação no uso de ácidos ou retinoides. 

Como fazer peeling facial? 

Dependendo do tipo de peeling e da profundidade do tratamento, o procedimento pode ser realizado em casa, clínicas estéticas ou consultório dermatológico, desde que em todo caso siga as orientações de um especialista. 

No geral, as etapas envolvidas em um peeling facial são: 

  1. Limpeza da pele para remoção de maquiagem, óleos e impurezas;

  1. Proteção dos olhos e cabelo para evitar a exposição aos produtos utilizados;

  1. Aplicação cuidadosamente controlada do peeling, conforme o tipo escolhido;

  1. Tempo de ação dos produtos, que pode variar de alguns minutos a maior tempo;

  1. Neutralização, especialmente para peelings químicos, para interrupção da ação do agente esfoliante;

  1. Hidratação.

Quais são os riscos do peeling facial? 

Embora o peeling facial seja geralmente seguro quando realizado por profissionais qualificados, há riscos que dependem do tipo de peeling, da profundidade do tratamento, das características individuais da pele e da aderência aos cuidados pós-tratamento, como: 

  • Desconforto, vermelhidão e inchaço temporários, que geralmente diminuem durante a recuperação; 

  • Reações alérgicas aos produtos químicos ou agentes utilizados no peeling, resultando em irritação, vermelhidão ou coceira; 

  • Agravamento de condições dermatológicas pré-existentes da pele, como acne ou rosácea; 

  • Cicatrizes, em decorrência a peelings mal realizados ou se o paciente tem tendência a formar cicatrizes; 

  • Infecções, especialmente se as diretrizes de cuidados pós-tratamento não forem seguidas corretamente; 

  • Foliculite (inflamação dos folículos pilosos), especialmente se houver pelos faciais e remoção inadequada de pele morta; 

  • Reativação de herpes labial, especialmente com peelings mais profundos; 

  • Hiperpigmentação, aumento temporário ou permanente da pigmentação, ou hipopigmentação, diminuição na pigmentação, principalmente se o paciente tem predisposição a essas condições. 

Cuidados antes e depois do peeling 

Antes e depois do procedimento de peeling, alguns cuidados são essenciais para garantir a eficácia do tratamento e a recuperação adequada da pele 

Cuidados antes do peeling 

  • Consulte um dermatologista para avaliar a sua pele, discutir seus objetivos e determinar o tipo de peeling mais adequado para você; 

  • Evite exposição excessiva ao sol nas semanas que antecedem o peeling para não haver complicações, como hiperpigmentação; 

  • Use protetor solar regularmente, mesmo em dias nublados, para proteger a pele dos raios UV, que podem deixar a pele com maior sensibilidade; 

  • Se necessário por orientação do dermatologista, suspenda o uso de produtos ou tratamentos específicos alguns dias antes do peeling; 

  • Uma semana antes do peeling, inicie a hidratação da pele com um dermocosmético hidratante adequado para o seu tipo de pele. 

Cuidados após o peeling 

  • Siga rigorosamente as instruções fornecidas pelo profissional de saúde; 

  • Evite a exposição direta ao sol durante o período de recuperação; 

  • Use protetor solar com alto FPS, mesmo em dias nublados; 

  • Use um hidratante suave, sem ingredientes irritantes, para auxiliar na remoção de crostas residuais, reduzir o edema e promover a regeneração da pele; 

  • Se a pele descamar, deixe que ela se solte naturalmente para evitar irritações; 

  • Não use produtos esfoliantes sem orientação durante o período de recuperação; 

  • Evite produtos com ingredientes potencialmente irritantes, como ácidos ou retinoides, durante a recuperação; 

  • Evite banhos quentes, saunas e atividades que gerem muito calor nos primeiros dias após o peeling; 

  • Use maquiagens somente mediante a aprovação do dermatologista; 

  • Agende consultas de acompanhamento conforme recomendado para que o profissional possa avaliar a recuperação e ajustar o tratamento conforme necessário. 

Como o protetor solar pode ajudar no peeling facial? 

O uso do protetor solar é essencial antes, durante e após o peeling facial. Isso porque ele forma uma barreira contra os efeitos nocivos do sol, desempenhando um papel crucial que ajuda a reduzir a sensibilidade da pele após o peeling, para estar menos suscetível a queimaduras; manter os resultados do tratamento, protegendo a pele nova e mantendo a aparência da pele melhorada; e evitar o risco de hiperpigmentação e cicatrizes. 

Qual o protetor solar ideal após peeling? 

Após a realização do peeling facial, é importante estar atento a alguns detalhes do protetor solar que melhoram a eficácia contra danos. 

Escolha um protetor solar de amplo espectro com alto FPS e que, preferencialmente, tenha ativos hidratantes em sua composição. Como é o Bastão Multifuncional Com Cor da Ollie, que utiliza em sua formulação a combinação de filtros para proteção completa, com FPS 95 e FPUVA 40, além do ativo ácido hialurônico, um poderoso hidratante. 

Acesse nossa loja online e conheça esse e outros produtos Ollie! 

Imagem principal retirada do site Freepik