Manchas brancas na pele: como surgem e quais os tratamentos

Manchas brancas na pele: como surgem e quais os tratamentos

Entenda quais são os tipos de manchas brancas na pele, como elas surgem, quais as características que as diferenciam e como prevenir e tratar em prol da saúde cutânea.

O que são manchas na pele? 

Geralmente visíveis a olho nu, manchas são áreas localizadas de coloração anormal na superfície cutânea, mais claras ou mais escuras em relação ao tom da pele. 

Quais são os tipos de manchas na pele? 

As manchas na pele podem ter diferentes cores, sendo elas: 

  1. Manchas marrons, como melanose, fitofotodermatose e melasma;
  1. Manchas pretas, como nevos, melanoma e queratose seborreica;
  1. Manchas brancas, como leucodermia solar ou sardas brancas, pitiríase versicolor ou pano branco e vitiligo;
  1. Manchas roxas, como hematomas e púrpura senil;
  1. Manchas vermelhas, como nevo rubi.

O que são manchas brancas na pele? 

Com diferentes causas e características, manchas brancas são áreas de hipopigmentação, ou seja, pontos em que há diminuição da coloração da pele. 

Quais são os tipos de manchas brancas na pele? 

Com diagnóstico dado somente por um dermatologista, as manchas brancas possuem diferentes tipos, sendo os mais comuns: 

Sarda branca 

  • Conhecida também como leucodermia solar e leucodermia gutata; 
  • Possui característica arredondada, geralmente de 2 a 5 mm de diâmetro; 
  • Ocorre principalmente nos antebraços e pernas; 
  • Tem como principais causas a exposição solar inadequada e acumulativa, a predisposição genética e reações alérgicas.  

Pano branco 

  • Conhecida também como pitiríase versicolor; 
  • É redonda ou oval, recoberta por escamas finas; 
  • Ocorre no tronco e braços; 
  • É uma micose superficial da pele causada por fungos que se manifestam por meio de condições favoráveis, como o calor, a umidade, a desnutrição, a sudorese excessiva e o uso de anticoncepcionais, de corticoides e/ou de imunossupressores. 

Pitiríase alba 

  • Associada a pele seca e dermatite atópica; 
  • É caracterizada por manchas brancas levemente elevadas; 
  • Ocorre principalmente na face, região cervical e tronco superior; 
  • Tem como principais causas os banhos quentes frequentes, e uso de esponjas durante higiene corporal e o uso de sabonetes abrasivos, com pH não adequado para o uso na pele. 

Vitiligo 

  • Possui características irregulares; 
  • Pode se manifestar como segmentar ou unilateral, em que ocorre apenas em uma parte do corpo, ou como não segmentar ou bilateral, em que ocorre nos dois lados do corpo, por exemplo, duas mãos, dois pés, dois joelhos; 
  • Tem como principais causas as doenças autoimunes como hepatite autoimune e doença de Addison, doenças da tireoide e predisposição genética. 

Hipomelanose 

  • É caracterizada por manchas redondas, variando de 1 milímetro a 2 centímetros de diâmetro; 
  • Comum principalmente na face anterior das pernas; 
  • Podem aumentar em tamanho e número com a idade; 
  • Tem como principal causa a predisposição genética. 

Hipopigmentação pós-inflamatória 

  • É bem definida, com uma transição clara entre a área hipopigmentada e a pele circundante; 
  • Pode ocorrer em qualquer parte do corpo, incluindo face, membros, tronco e áreas de dobras; 
  • Tem como principal causa o processo de cicatrização de queimaduras, cortes profundos ou abrasões, reações alérgicas, infecções ou outros processos inflamatórios da pele. 

Mancha branca na pele pode ser câncer? 

Existem várias condições dermatológicas benignas que podem causar manchas brancas. No entanto, certos tipos de câncer de pele, como o carcinoma basocelular, também podem se apresentar dessa forma 

Para saber se a mancha apresenta sinais de câncer de pele, fique atento se possui bordas irregulares ou mal definidas, muda em tamanho, forma, cor ou textura, e se há sintomas como coceira persistente, sangramento ou dor. 

Em todo caso, ao suspeitar, sempre procure um dermatologista para avaliação. 

Quando devo me preocupar com as manchas brancas na pele?  

De forma geral, qualquer lesão ou mancha na pele deve ser suspeita se mudar em tamanho, forma ou cor, e se apresentar sintomas incomuns, como coceira, sangramento ou dor.

Como tratar manchas brancas na pele?  

Os tratamentos para manchas brancas já existentes se diferem por tipo de mancha, sendo: 

Sarda branca, leucodermia solar ou leucodermia gutata  

  • Terapia a lasers; 
  • Crioterapia com nitrogênio líquido e dermabrasão. 

Pano branco ou pitiríase versicolor  

  • Antifúngicos tópicos ou orais. 

Pitiríase alba  

  • Hidratantes; 
  • Produtos tópicos com queratolíticos, corticosteroides e retinoides; 
  • Fototerapia. 

Vitiligo 

  • Fototerapia com luz ultravioleta (PUVA); 
  • Corticosteroides tópicos; 
  • Tacrolimus ou pimecrolimus tópicos; 
  • Transplante de melanócitos ou enxertos de pele em casos graves. 

Hipomelanose  

  • Crioterapia; 
  • Microdermabrasão; 
  • Produtos tópicos com ácido kójico ou hidroquinona. 

Hipopigmentação pós-inflamatória 

  • Cremes clareadores tópicos; 
  • Terapia a laser; 
  • Peeling químico. 

Com prevenir as manchas brancas?  

Para prevenção de manchas brancas, além de usar protetor solar diariamente e evitar exposição excessiva e prolongada ao sol, principalmente durante as horas de pico, entre 10h e 16h, para alguns tipos de manchas, é preciso atenção à: 

Pano branco ou pitiríase versicolor 

  • Usar roupas leves, arejadas e, preferencialmente, de tecidos não sintéticos;  
  • Manter a pele seca. 

Pitiríase alba 

  • Manter a pele bem hidratada; 
  • Evitar produtos ou substâncias que possam causar irritação cutânea. 

Vitiligo 

  • Evitar o uso de roupas apertadas ou que provoquem atrito ou pressão sobre a pele; 
  • Controlar o estresse por meio de atividades e acompanhamento psicológico. 

Hipopigmentação pós-inflamatória  

  • Evitar coçar ou esfregar intensamente a pele durante e após lesões ou inflamações. 

Importância da proteção solar para a prevenção de manchas brancas 

O uso regular do protetor solar é imprescindível, independentemente do tipo de mancha branca. Isso porque, por meio de seus filtros, ele protege a pele dos raios ultravioletas (UV) do sol que podem danificar as células que produzem melanina, o pigmento responsável pela coloração da pele, impedindo também a piora de manchas já existentes. 

Além disso, o protetor solar beneficia a saúde da pele no caso de lesões cutâneas, como queimaduras, cortes ou irritações, ajudando a proteger a área durante o processo de cicatrização para evitar a hipopigmentação pós-inflamatória; e, em condições como o vitiligo, onde a pele é sensível à luz solar, ajuda a evitar queimaduras e danos adicionais à pele despigmentada. 

Proteção ideal para saúde da pele a longo prazo, que você pode encontrar em Ollie, que possui produtos com alta proteção solar, ativos de skincare e multifuncionalidade para um dia a dia muito mais prático e livre de danos. 

Acesse a loja online e conheça a linha completa, incluindo o Bastão Com Cor, preferido entre consumidores e influenciadoras. 

Imagem principal retirada do site Freepik