Cicatrizes: quais os tipos, cuidados e tratamentos

Cicatrizes: quais os tipos, cuidados e tratamentos

Entenda como surgem as cicatrizes, quais os cuidados necessários durante e após o processo de cicatrização, e saiba a importância do uso do protetor solar sob essa condição.

O que são cicatrizes? 

Normalmente esbranquiçadas ou próximas da coloração da pele, cicatrizes são áreas de tecido fibroso que substituem o tecido normal da pele ou de outros órgãos do corpo, após os tecidos serem danificados por meio de uma variedade de lesões, como cortes, queimaduras, cirurgias, acne ou outras condições que causem danos à integridade da pele ou de outros tecidos. 

Como surgem as cicatrizes? 

As cicatrizes surgem como parte do processo natural de cicatrização da pele em resposta a lesões, cortes, queimaduras ou outras formas de dano tecidual 

Quando a pele é danificada, o corpo trabalha para reparar os danos causados, e o processo de cicatrização começa. Durante esse processo, o corpo produz colágeno para fechar a ferida, mas nem sempre a quantidade de colágeno produzida é a ideal, o que pode resultar em cicatrizes elevadas ou deprimidas. 

Quais são as etapas do processo de cicatrização? 

O processo de cicatrização envolve várias etapas, sendo elas: 

Fase inflamatória 

Com duração média de 1 a 6 dias, nessa primeira fase ocorre a hemostasia, processo de coagulação do sangue para estancar o sangramento; e a inflamação, resposta imunológica do corpo à lesão. Nessa fase, células do sistema imunológico, como neutrófilos e macrófagos, migram para a área lesionada para limpar detritos, bactérias e células danificadas. 

Fase proliferativa 

Com duração média de 2 dias a 3 semanas, nessa segunda fase os fibroblastos entram em ação, se multiplicando para cobrir a ferida. Eles produzem colágeno, a principal proteína estrutural da pele, formando uma matriz que suportará o crescimento de novos tecidos. Enquanto isso, os vasos sanguíneos também se reconstituem para fornecer nutrientes à área lesionada. 

Fase de reparação 

Com duração média de algumas semanas, nessa terceira fase o tecido de granulação, uma mistura de fibrina, colágeno e novos capilares sanguíneos, começa a preencher a ferida 

Fase de maturação e remodelação 

Com duração que pode levar de meses a anos, a fase final envolve a reorganização do colágeno na cicatriz, tornando-a mais forte e mais semelhante ao tecido circundante. Nessa etapa, as células chamadas miofibroblastos ajudam na contração da ferida, reduzindo o tamanho da cicatriz. 

Quais são os fatores que podem afetar o processo de cicatrização? 

Existem diversos fatores que podem influenciar o processo de cicatrização e afetar a forma como as cicatrizes se desenvolvem. Esses fatores podem variar de pessoa para pessoa e incluem: 

  • Gravidade da lesão: lesões mais profundas e extensas tendem a resultar em cicatrizes mais pronunciadas; 
  • Cuidados pós-lesão: a forma como a lesão é tratada, incluindo a proteção da ferida e a aplicação de curativos apropriados, podem afetar significativamente o resultado da cicatrização; 
  • Idade: a capacidade de cicatrização pode diminuir com a idade, com cicatrização mais eficiente em pessoas mais jovens; 
  • Cor da pele: pessoas com pele mais clara podem ser propensas a cicatrizes hipertróficas, enquanto pessoas com pele mais escura podem ser mais suscetíveis a queloides; 
  • Localização da lesão: cicatrizes em áreas de movimento constante, como articulações, podem ser mais propensas a desenvolver cicatrizes contráteis; 
  • Genética: algumas pessoas têm maior propensão a desenvolver queloides ou cicatrizes hipertróficas; 
  • Estado hormonal: alterações hormonais, como aquelas associadas à gravidez ou à puberdade, podem impactar a cicatrização; 
  • Infecção: infecções na ferida podem retardar o processo de cicatrização e aumentar o risco de cicatrizes anormais; 
  • Saúde geral: condições médicas, como diabetes, doenças autoimunes ou outras condições que afetam o sistema imunológico, podem influenciar negativamente a cicatrização; 
  • Hábitos de vida: fatores como tabagismo e má alimentação podem prejudicar a circulação sanguínea e a oxigenação dos tecidos, afetando a cicatrização; 
  • Uso de certos medicamentos: alguns medicamentos, como corticosteroides, podem influenciar o processo de cicatrização. 

Quais são os tipos de cicatrizes? 

Existem diferentes tipos de cicatrizes, cada um com suas características e causas específicas. Algumas das principais são: 

Cicatrizes normais 

Ocasionadas por lesões comuns do dia a dia, pequenos cortes, arranhões ou cirurgias pequenas que não apresentam complicações significativas, as cicatrizes normais inicialmente podem ser levemente elevadas, avermelhadas ou rosadas. Com o tempo, tendem a se aplanar e adquirir uma cor mais próxima da pele circundante. 

Queloides 

Ocasionados por após lesões como cortes, queimaduras ou até mesmo pequenas picadas de insetos, principalmente se houver predisposição genética, os queloides são geralmente grandes, espessos e podem ter uma coloração mais escura, ultrapassando os limites da lesão original. 

Cicatrizes hipertróficas 

Ocasionadas por lesões como cortes, queimaduras ou cirurgias, que resultam em uma produção excessiva de colágeno durante o processo de cicatrização, as cicatrizes hipertróficas são elevadas, mas ao contrário dos queloides, permanecem dentro dos limites da lesão original, podendo ser mais visíveis do que as cicatrizes normais. 

Cicatrizes atróficas 

Ocasionadas por acne, cirurgias, traumas, queimaduras e uso de corticoides injetáveis em cicatrizes elevadas, as cicatrizes atróficas são divididas em dois tipos: distensíveis e não distensíveis. As distensíveis são aquelas que desaparecem quando a pele é esticada, enquanto as não distensíveis permanecem visíveis mesmo quando a pele é esticada. Essas apresentam uma depressão na pele, ou seja, são rebaixadas em relação ao nível da pele normal. 

Cicatrizes contráteis 

Ocasionadas por queimaduras graves, as cicatrizes contráteis, também conhecidas como cicatrizes retráteis ou de contratura, são caracterizadas pelas deformidades e restrições de movimentos, já que repuxam as margens da pele ao redor, causando uma contração, que pode afetar os músculos e tendões vizinhos, restringindo o movimento normal e, em alguns casos, levando a deformidades ósseas e/ou articulares.  

Cicatrizes lineares 

Ocasionadas por incisões cirúrgicas, cortes ou lacerações, as cicatrizes lineares são aquelas que apresentam uma linha reta, com coloração cor mais clara em relação à pele ao redor, semelhante a um corte.

Cicatrizes de acne 

Resultados de lesões inflamatórias na pele causadas pela acne, as cicatrizes de acne podem variar em tipo e gravidade, incluindo cicatrizes atróficas, cicatrizes hipertróficas e queloides, dependendo da resposta individual à acne e do tratamento. 

Cicatrizes são permanentes? 

Mesmo que as cicatrizes se tornem menos visíveis ao longo do tempo, principalmente se utilizado tratamento para isso, elas geralmente não desaparecem completamente 

Há vários fatores que influenciam a aparência e a persistência das cicatrizes, incluindo a genética, a localização da ferida, a profundidade da lesão, a idade do indivíduo e os cuidados tomados durante o processo de cicatrização. 

As cicatrizes podem fazer mal à pele? 

Em geral, as cicatrizes não representam uma ameaça direta à saúde da pele, mas podem ter alguns efeitos colaterais e impactos estéticos, principalmente não forem tratadas adequadamente ou se ocorrerem complicações durante o processo de cicatrização. 

Alguns "danos" relacionados às cicatrizes incluem: 

  • Alterações visuais na pele, como mudanças na cor, textura e na aparência geral da área cicatrizada; 
  • Limitação da amplitude de movimento da pele e dos músculos adjacentes, em casos de cicatrizes contráteis; 
  • Desconforto, coceira ou dor na área da cicatriz, dependendo da natureza da cicatriz e da resposta individual à cicatrização. 

Como tirar cicatrizes? 

Apesar de não ser possível remover por completo uma cicatriz, existem várias opções de tratamentos disponíveis para melhorar a aparência, com resultados que podem variar conforme a natureza da cicatriz, o tipo de pele, a idade e outros fatores individuais. 

Enquanto alguns tratamentos são menos invasivos, outros são mais e, por isso, exigem orientação e acompanhamento individual de um profissional de saúde. 

Alguns dos tratamentos mais comuns incluem: 

Cuidados iniciais e preventivos 

  • Curativos compressivos: curativos específicos para cicatrização, que pressionam a cicatriz para reduzir o tamanho e melhorar a aparência, como os curativos de silicone; 
  • Proteção solar: uso regular de protetor solar para prevenir a pigmentação da cicatriz e proteger contra os efeitos nocivos do sol; 
  • Hidratação: cremes ou pomadas que mantém a cicatriz hidratada, promovendo a regeneração da pele. 

Tratamentos tópicos 

  • Géis e pomadas com silicone: produtos que contêm silicone podem ser eficazes na redução da visibilidade de cicatrizes, melhorando sua textura e cor; 
  • Cremes clareadores: cremes com ingredientes clareadores, como vitamina C, ácido kójico ou ácido glicólico, para reduzir a pigmentação; 
  • Tretinoína (retinoide): ajuda na renovação celular e melhorar a textura da pele. 

Procedimentos estéticos 

  • Microdermoabrasão: procedimento que esfolia a camada superficial da pele, promovendo a renovação celular e melhorando a textura da cicatriz; 
  • Peelings químicos: aplicação de substâncias químicas na pele para remover camadas superficiais, reduzindo a visibilidade da cicatriz; 
  • Laserterapia: ajuda a reduzir a pigmentação, estimular a produção de colágeno e melhorar a textura da pele; 
  • Injeções de corticosteroides: usadas para reduzir a inflamação e melhorar a aparência de cicatrizes hipertróficas ou queloides. 

Procedimentos cirúrgicos 

  • Revisão de cicatriz: procedimento cirúrgico para remover a cicatriz e fechar a ferida novamente, resultando em uma cicatriz mais estética; 
  • Enxerto de pele: transplante de pele para substituir a área cicatrizada, utilizado em cicatrizes extensas ou deformidades. 

Tratamentos inovadores 

  • Microagulhamento: agulha fina que estimula a produção de colágeno e melhora a textura da pele; 
  • Terapia com Laser de CO2 Fracionado: um tipo de laser que trata pequenas áreas da pele, promovendo a regeneração e melhoria na aparência das cicatrizes. 

Tratamentos específicos 

  • Injeções de ácido hialurônico: preenche cicatrizes atróficas, melhorando a sua aparência; 
  • Terapia com radiofrequência: estimula a produção de colágeno e melhorar a textura da pele. 

Em todo caso, antes de escolher o tratamento ideal para você, consulte um dermatologista para não agravar a situação e obter resultados satisfatórios. 

Como evitar que cicatrizes fiquem escurecidas? 

Evitar que as cicatrizes fiquem escurecidas envolve uma combinação de cuidados durante o processo de cicatrização e medidas para proteger a pele contra a pigmentação irregular: 

  • Evite coçar a cicatriz, pois isso pode causar irritação e aumentar o risco de pigmentação irregular; 
  • Faça massagens suaves sobre as áreas com cicatrizes para melhorar a circulação sanguínea e ajudar na distribuição uniforme de pigmentos, reduzindo o risco de hiperpigmentação; 
  • Evite a exposição direta ao sol, especialmente nos estágios iniciais da cicatrização; 
  • Proteja a cicatriz dos raios UV usando diariamente protetor solar com alto FPS; 
  • Mantenha a cicatriz hidratada com cremes ou pomadas recomendados pelo médico; 
  • Evite o uso de produtos irritantes ou que possam causar reações alérgicas na área da cicatriz; 
  • Evite fumar durante o processo de recuperação; 
  • Faça acompanhamento regular com o médico ou cirurgião plástico para monitorar a cicatrização e discutir qualquer preocupação. 

Como clarear cicatrizes? 

Existem diversas técnicas para clarear cicatrizes e, normalmente, os processos são graduais.  

A escolha do método de clareamento dependerá do tipo de cicatriz, da gravidade da pigmentação e das características individuais. Avaliações que somente um médico ou cirurgião poderão fazer com precisão. 

As opções mais comuns incluem: 

  • Cremes contendo silicone, que reduzem a visibilidade de cicatrizes e melhoraram a pigmentação; 
  • Microdermoabrasão, que esfolia a camada superficial da pele; 
  • Laserterapia, que reduz a pigmentação e estimula a produção de colágeno; 
  • Peelings químicos, que removem as camadas superficiais da pele, promovendo a regeneração; 
  • Microagulhamento, que estimula a produção de colágeno e pode melhorar a textura e a pigmentação da pele. 

Quais ativos podem clarear cicatrizes? 

Existem diversos ativos que têm propriedades clareadoras e podem ser utilizados para melhorar a pigmentação de cicatrizes.  

Estão entre eles: ácido kójico, ácido fítico, niacinamida (vitamina B3), vitamina C, ácido tranexâmico, ácido retinoico, ácido glicólico e ácido ferúlico. 

Quais os cuidados para quem tem cicatrizes? 

Para promover a cicatrização adequada da pele e minimizar potenciais complicações ou problemas estéticos, é recomendado seguir alguns cuidados básicos, como: 

Evitar coceira 

Evite coçar ou cutucar a cicatriz, pois isso pode causar irritação. 

Evitar tensão excessiva 

Evite movimentos que causem tensão excessiva na cicatriz, especialmente em cicatrizes contráteis, pois isso pode alargar a cicatriz e torná-la mais visível. 

Curativos 

Se recomendado pelo médico, use curativos adequados para proteger a cicatriz, especialmente em áreas sujeitas a atrito ou movimento constante. 

Massagem 

Massaje a cicatriz pelo menos uma vez por dia para amolecer o tecido cicatricial e melhorar a circulação sanguínea. 

Limpeza 

Limpe cuidadosamente a cicatriz diariamente com água morna e sabão neutro. Evite esfregar vigorosamente para não irritar a cicatriz. 

Hidratação 

Mantenha a cicatriz hidratada para prevenir a formação de crostas e a melhorar a elasticidade da pele. 

Proteção solar 

Proteja a cicatriz da exposição direta ao sol, usando protetor solar diariamente para evitar o escurecimento e envelhecimento prematuro da cicatriz. 

Evitar tabagismo 

Evite fumar durante o processo de recuperação, pois o tabagismo pode prejudicar a circulação sanguínea e afetar negativamente a cicatrização.  

Monitoramento regular 

Faça acompanhamento regular com o médico para avaliar o progresso da cicatrização e discutir quaisquer preocupações ou questões que possam surgir. 

O que deve conter em um protetor solar para cicatrizes? 

Um protetor solar ideal para cicatrizes deve conter:  

  • Alto FPS; 
  • Proteção UVA e UVB; 
  • Fórmula livre de fragrâncias; 
  • Vitamina C para o clareamento da cicatriz; 
  • Vitamina E (tocoferol) para auxiliar na regeneração celular. 

Tudo que você encontra no Bastão Com Cor da Ollie, que possui FPS 95, FPUVA 40, ácido hialurônico, vitamina C, vitamina E e cobertura como base que uniformiza a pele e evita que as cicatrizes se sobressaiam. 

Conheça o produto em nosso site. 

Como prevenir cicatrizes? 

A prevenção de cicatrizes está relacionada ao cuidado durante o processo de cicatrização de feridas, evitando infecções e mantendo a área limpa e protegida. Isso porque as cicatrizes fazem parte de um processo natural do corpo que ocorre após as lesões, não sendo possível impedir que elas ocorram. 

Quando saber que é o momento de tomar medidas para prevenção de cicatrizes? 

O momento ideal para começar a tomar medidas que amenizarão os impactos das cicatrizes pode variar dependendo do tipo de lesão e do processo de cicatrização 

Em feridas de acidentes ou queimaduras, os cuidados devem começar imediatamente. Já no caso de cirurgias, deve-se atentar ao que o cirurgião aconselhar. 

De toda forma, é imprescindível o aconselhamento de um profissional médico, para avaliação e tratamento individual. 

Imagem principal retirada do site Freepik